Notícias FASA

Aula Magna dos cursos das Engenharias da FASA aborda a valorização de resíduos sólidos urbanos

Data da publicação: 06/04/2022
COMPARTILHE: Facebook Twitter E-mail
Intitucional

Na última semana, foi realizada a Aula Magna - atividade que marcou oficialmente o início do semestre letivo dos cursos das Engenharias (Ambiental e Sanitária, Civil, Elétrica, Mecânica e Química) da Faculdade Santo Ângelo (FASA). 

O evento aconteceu no auditório da Instituição e a palestra foi proferida pela Engenheira Civil e supervisora da Companhia Riograndense de Valorização de Resíduos (CRVR) de Giruá, Tassia Mos, que abordou o tema "Valorização de resíduos sólidos urbanos".

A aula teve como objetivo atualizar os alunos e proporcionar uma visão diferenciada quanto a valorização de resíduos sólidos urbanos, que é hoje uma atividade ambientalmente sustentável e economicamente vantajosa, e tem tudo para moldar o futuro. Mais de 100 acadêmicos dos cinco cursos de Engenharia ofertados pela Instituição, além de professores, coordenação e do CEO da FASA, professor Rafael Rossetto, participaram das atividades.

Na palestra, foram abordados diversos tópicos de inovação na operação das centrais de tratamento. A palestrante convidada, iniciou sua fala apresentando o funcionamento, estrutura, áreas de atuação e unidades da companhia. Posteriormente, abordou as tecnologias de tratamento do lixiviado por evaporação e osmose, e o projeto em escala piloto, denominado de GNVerde, que visa purificar o biogás gerado no aterro sanitário, tendo como produto final um gás com composição equivalente ao gás natural veicular (GNV), cujo objetivo final é o uso deste gás purificado em frotas de veículos automotores ou outros fins similares.

Além disso, também foram abordados aspectos que envolvem o aproveitamento energético do biogás gerado em aterros sanitários. A palestrante apresentou o projeto da Central de Resíduos do Recreio localizado na cidade de Minas do Leão/RS, o qual visa a geração de energia elétrica usada como combustível e o biogás gerado da decomposição biológica dos resíduos orgânicos. A unidade geradora tem uma potência de 8,5 MWh, podendo atender uma população de aproximadamente 100 mil habitantes.

NOTÍCIAS ARTIGOS

VEJA O ARQUIVO DE NOTÍCIAS COMPLETO >>

VEJA O ARQUIVO DE ARTIGOS COMPLETO >>